• Victoria Ferreira

A tal da liberdade

Atualizado: Jul 27


Para ouvir essa conversa em um tom mais íntimo e/ou fazendo outra atividade ouça o episódio 4 do meu podcast, o feminino de nós.


Há algum tempo me pergunto se ordem e liberdade podem coexistir, isso motivada pelo lema estampado em nossa bandeira "Ordem e Progresso" em contradição com o lema francês, nascido da Revolução Francesa, "Liberdade, Igualdade e Fraternidade".


Para responder essa pergunta me deparo com outro questionamento: o que, afinal de contas é liberdade? Conceituar essa palavra se torna ponto fundamental para responder a pergunta anterior e principalmente para traçar um caminho em direção a um novo mundo.


A sombra do opressor


Paulo Freire diz em "Pedagogia do Oprimido": "Os oprimidos, que introjetam a "sombra" dos opressores e seguem suas pautas, temem a liberdade, na medida em que esta, implicando a expulsão desta sombra, exigiria deles que "preenchessem" o "vazio" deixado pela expulsão com outro "conteúdo"- o de sua autonomia. O de sua responsabilidade, sem o que não seriam livres".


Quando questionamos a feminilidade, aspectos do que entendemos como 'ser mulher', estamos consequentemente questionando identidade - uma identidade construído por outros, que cabe em poucas. Isso porque essas características parecem tão parte de nós que se tornam indissociáveis.


E então se torna difícil se reconhecer para além das expectativas alheias e tudo parece confuso: Sou uma mentira? Eu quero isso ou querem de mim? O quanto é meu e o quanto é do outro?


O outro do outro.


Djamila Ribeiro fala sobre como grupo minorizados tem sua humanidade roubada, principalmente através de uma identidade e histórias não contadas, e consequentemente nos é roubada a possibilidade de sermos contraditórios, múltiplos e humanos. Nos tornamos aquilo que disseram que somos.


Simone de Beauvoir, filósofa e autora de "O Segundo Sexo", diz que a mulher é o outro do homem, porque a norma é o homem e o outro, aquele que não é, é a mulher. E Djamila complementa, então se a mulher é o outro no homem, a mulher negra é o outro do outro.


Esse pra mim é justamente o processo que Paulo Freire cita quando fala sobre os oprimidos que introjetam a sombra do opressor. A sombra é a identidade criada para o outro, e principalmente aquilo que não é.


Feminismo e transtorno de ansiedade


Eu cresci com transtorno de ansiedade e ser diagnosticada foi um rompimento na maneira como eu me enxergava. Comecei a perceber que muito do que eu atribuía a minha personalidade eram na verdade sintomas: medo de tomar responsabilidade, irritabilidade, instabilidade emocional - e foi, em grande parte, um alívio, mas também um desafio me reconhecer para além da doença.

Esse caminhar foi mais ou menos parecido com a descoberta do feminismo e principalmente de reconhecer os sintomas de uma socialização baseada na "mulher ideal". Justamente porque o que fazemos ao nos deparar com um movimento que propõe transformações radicais na sociedade é olhar para nós mesmas. Perceber a maneira como o sexismo nos molda, nos atinge, como reforçamos essa estrutura que nos violenta, é processo essencial na tomada de consciência coletiva.


É doloroso arrancar o que parece ser uma parte de nós e principalmente não fazer ideia do que colocar no lugar, e por isso resistimos em abandoná-la ou passamos a buscar respostas prontas naquilo que já conhecemos.


Quanto custa sua liberdade?


Discursos de ódio ou ondas de extrema direita normalmente chegam ao poder em um momento em que as pessoas estão vulneráveis e com medo, por que são esses os momentos em que agarramos o discurso que parece mais simples e firme.


E fazemos isso com o consumo também. Carros são vendidos como virilidade, dietas e cirurgias estéticas como promessas de perfeição e, quando a movimentação política não é eficiente ao nos dizer que não é através do consumo que vamos conquistar a liberdade, nos vendem o empoderamento.


Uma nova coleção de maquiagem, uma peça de roupa, um vibrador, todos te garantindo que você será livre. Livre de que? Livre por que? Essa é uma resposta que não vem na caixa de presente.

0 visualização

feminismo e bem-estar por Victoria Ferreira

entre em contato.

  • YouTube - Black Circle
  • Instagram - Black Circle
  • Pinterest - Black Circle